Logo Dealernet

Sequestro de dados e ransomware: saiba como proteger sua empresa

Sequestro de dados e ransomware: saiba como proteger sua empresa

Compartilhe:

Pode-se dizer que a internet está presente em praticamente todas as atividades diárias de uma empresa, seja na troca de e-mails importantes ou na utilização de softwares de gestão e de compartilhamento de dados.

Com todas as facilidades proporcionadas pela internet, tornou-se mais prática a realização de serviços com um simples clique, sem precisar abrir mão da comodidade. No entanto, devido às ameaças de programas maliciosos, essa praticidade requer alguns cuidados.

Mais conhecido como ransomware, o vírus do sequestro de dados é um dos principais cyberataques feitos por hackers que bloqueiam dispositivos e cobram resgate para devolver o acesso.

Quer saber mais sobre o sequestro de dados e ransomware? Continue a leitura do nosso artigo e conheça as principais dicas para proteger a sua empresa. Confira!

O que é o ransomware?

A palavra ransomware é utilizada para denominar um vírus que pode realizar um sequestro de dados nos computadores. Trata-se de um software nocivo para as máquinas e de alto risco, considerado um crime cibernético, no qual a empresa deve estar atenta para se proteger.

Uma vez infectado, o dispositivo emite um pop-up alertando o bloqueio de arquivos ou, até mesmo do computador, sendo necessário o pagamento de um resgate para a liberação de uma chave de segurança descriptografia para restabelecer o acesso.

Em outras palavras, os dados da instituição são sequestrados por um criminoso, que requisita um resgate pelos dados salvos no dispositivo. Os tipos de malwares que executam esse sequestro são vírus extremamente silenciosos, e os usuários só tomam conhecimento da infestação quando são notificados.

No caso dos sistemas de concessionária de veículos, dados de clientes, informações financeiras, dados de controle de produção e venda ficam vulneráveis com esse tipo de vírus. Acontecendo o sequestro de dados, as empresas e os próprios clientes podem ser prejudicados e correm o risco de informações pessoas serem expostas.

Quais são os ataques mais comuns de sequestro de dados?

Devido à grande quantidade de pessoas leigas utilizando a internet, o ataque do ransomware tornou-se comum, sobretudo dentro das organizações. Links suspeitos, e-mails controversos, download de fontes inseguras e sites sem segurança são as principais formas de agir.

Hospitais, prefeituras, universidades e serviços de controle industrial são os alvos preferidos dos criminosos, pois são instituições que, para não ficar sem acesso ao sistema, tendem a pagar o valor pedido.

Segundo o Internet Threat Security Report (ISTR), em 2015 mais de 1,5 milhão de malwares (códigos maliciosos ou softwares nocivos) foram criados por dia, com mais de 430 milhões de ocorrências registradas.

Nota-se, portanto, que apesar dos esforços das empresas de antivírus, as ameaças se proliferam rapidamente no mundo virtual.

Qual o valor pago com resgates?

A resposta para essa pergunta costuma variar de acordo com a complexidade do sistema invadido, o seu tamanho e a importância da organização, o valor pode chegar a 30 mil dólares.

O valor total de resgates entre 2005 e 2015, de acordo com um estudo da BTB Security, foi de U$ 1 milhão para U$ 24 milhões. E nos três primeiros meses de 2016 esse total já contabilizava U$ 209 milhões em resgate.

Um dos casos descobertos recentemente é o de um ransomware que emite uma janela parecida com um pedido de atualização do Adobe Flash Player. Quando o vírus infecta o dispositivo e sequestra os dados da vítima, o pedido de resgate é cerca de 2 mil reais.

Em geral, o pagamento para a liberação é realizado por meio de bitcoins, uma moeda digital, o que dificulta ainda mais a possibilidade de descobrir os criminosos, já que o método de transação financeira é encriptado e muito difícil de ser rastreado.

É importante salientar que o pagamento para o resgate não necessariamente deve ser feito. A maneira mais eficaz de recuperar os arquivos é buscá-los em um backup. Nesse caso, é possível notificar a equipe de TI da empresa, que deixará a máquina em quarentena, para que não possa contaminar outros dispositivos conectados à rede.

Em seguida, deve-se eliminar o vírus e excluir todas as informações infectadas. Com o ransomware eliminado e após uma minuciosa vistoria, os dados podem ser restaurados se o backup dos dados estiver ativo.

Cabe ressaltar que o pagamento do resgate não é garantia segura da remoção do ransomware, por isso o ideal é não pagar pela prática. Além disso, ao pagar o resgate, a empresa contribui e alimenta o crime virtual, motivando os infratores a seguir com novas tentativas.

Como a empresa pode se proteger desse ataque?

Uma vez contaminado, a chance de perdas de arquivos é enorme, por isso é necessário tomar algumas medidas de segurança e aumentar a atenção para sites duvidosos e transferências de dados sem fontes seguras.

Em primeiro plano, a utilização do antivírus como ferramenta antiransomware é indispensável e considerada uma das melhores formas de prevenir a contaminação, além de evitar comportamentos de risco.

Para evitar que aconteça o sequestro de dados, recomenda-se ações de prevenção. Mesmo sendo um vírus extremamente perigoso, ele é facilmente combatível com algumas medidas, como:

  • atualizar o sistema operacional;
  • realizar backup dos arquivos importantes regularmente, optando por armazená-los em um sistema cloud;
  • manter o antivírus sempre atualizado, programando-o para varreduras automáticas;
  • evitar abrir e-mails de desconhecidos e spam em geral;
  • manter o dispositivo de segurança da rede atividade (o Firewall, no caso do Windows);
  • ter bastante cuidado e atenção ao entrar em sites, e-mail, links e fazer downloads.

Cabe ressaltar que a melhor opção é investir na prevenção, mas em casos mais extremos de contaminação da máquina, quando o software é bloqueado pelo vírus, a solução ideal é realizar a restauração do sistema, como abordado anteriormente. Por esse motivo, é muito importante fazer o backup dos arquivos.

Por fim, o sequestro de dados pode ser prejudicial para o seu negócio. Afinal, perder o acesso às informações pode parar totalmente as atividades da empresa. Portanto, busque ajuda profissional para consolidar a segurança da sua empresa e não deixe de seguir as nossas dicas de proteção de dados.

Gostou do nosso artigo sobre sequestro de dados e ransomware? Então, aproveite a visita no blog para assinar a nossa newsletter. Assim, você fica por dentro de todas as atualizações. Vamos lá!

POSTAGENS RECENTES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo
© 2021 DEALERNET. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Av. Santos Dumont, Nº 6061, Edf. André Guimarães Helitower, Salas 722 a 724 Portão, CEP: 42712-740 Estrada do Coco – Lauro de Freitas
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram