Logo Dealernet

Design thinking: o poder da inovação nas concessionárias

Design thinking: o poder da inovação nas concessionárias

Compartilhe:

O mercado automotivo passa por profundas transformações e está cada vez mais competitivo. Entretanto, essa não é uma realidade exclusiva do setor e sim de todas as formas de negócios na era da economia digital, exigindo dos empreendedores novas maneiras de desenvolver suas atividades e habilidades como compreensão de cenários econômicos, formulação e execução de estratégias, gestão e atendimento com foco na melhor experiência do cliente a fim de que possam obter resultados positivos. Tendo isso em mente, para as concessionárias automotivas, é fundamental que os líderes estejam comprometidos com a descoberta de novas abordagens, melhores formas de desenvolver o negócio e seus colaboradores.

É de suma importância trazer a inovação para os seus processos e atividades, pois com isso é possível ter maiores resultados quanto à satisfação dos consumidores por meio da compreensão de suas necessidades e desejos. Uma ferramenta que tem se tornado parte das estratégias de gestão das empresas é o Design Thinking. Com sua utilização consegue-se aprimorar soluções e tornar as decisões e planejamentos mais condizentes com a realidade do negócio e do perfil do seu público consumidor.

Por conta disso, é fundamental que os gestores compreendam e saibam implementá-la em sua empresa. Para ajudá-lo a entender melhor sobre o assunto, preparamos este artigo com as principais informações sobre inovação nas concessionárias e Design Thinking. Continue a leitura e fique por dentro de tudo!

O que é Design Thinking?

A princípio, é válido compreender o que consiste o Design Thinking. A primeira informação que precisa ser destacada é que ele não é uma metodologia, mas sim uma abordagem. Muitas pessoas fazem essa confusão e acabam esperando uma fórmula ou procedimento que terá uso para qualquer tipo de situação. O Design Thinking é uma abordagem que procura a solução de problemas de maneira coletiva e colaborativa. O que é estabelecido como base para formular esse processo é a empatia máxima com o público-alvo.

Os clientes potenciais são colocados como centro das decisões de desenvolvimento de um determinado produto ou serviço. A estratégia se define ao mapear e associar a experiência cultural, a percepção de mundo e as necessidades e desejos presentes na vida dos indivíduos.

Tudo isso tem a finalidade de gerar múltiplas formas de entender e solucionar um problema, a fim de transformar o seu serviço em um produto essencial para o consumidor. Portanto, trata-se de uma abordagem fundamentalmente “humana” e que possui empregabilidade em qualquer área do negócio.

A razão para o Design Thinking ser parte dos processos de uma empresa é a possibilidade de melhorar os resultados de negócios proporcionando uma melhor experiência e satisfação do cliente, que só é alcançada quando entendemos com profundidade suas necessidades e o seu comportamento de consumo. Esse conceito surgiu no início dos anos 90, sendo criado por David Kelley e Tim Brown que pertenciam à empresa de consultoria de inovação IDEO. Kelley e Brown se propuseram a criar novas formas de resolver os problemas dos seus clientes.

De forma holística, criavam projetos e ideias que tinham como base o olhar crítico, a criatividade, a curiosidade e o aprendizado que possibilitavam que gerassem soluções mais efetivas. Esses dois profissionais desenvolveram e disseminaram o Design Thinking. Mesmo assim, vale ressaltar que as raízes da abordagem são bem mais antigas e foram inspiradas no design.

Quais são os pilares do Design Thinking?

O Design Thinking é construído mediante a presença de várias estratégias voltadas para compreender o contexto do cliente, suas dificuldades e como solucionar essas questões com um melhor produto, serviço ou mesmo processo de negócio . Dentro de uma concessionária de veículos haverá formas de realizar e apresentar soluções ao cliente que realmente serão condizentes com o que ele precisa, o que aumenta as chances de conversão de vendas.

Acompanhe agora algumas informações sobre os 3 pilares do Design Thinking!

Empatia

O primeiro pilar que podemos citar a respeito do Design Thinking é a empatia. Esse termo está relacionado à capacidade de abandonar os pré-julgamentos, abstendo-se das convicções pessoais, a fim de compreender o contexto sobre o olhar de quem os vive diariamente. A partir desse pilar é possível entender as pessoas e suas necessidades. Essa habilidade é de grande valia na imersão com o público, de modo que tudo que seja criado possa corresponder às suas expectativas.

Colaboração

Um fato pode causar impressões e interpretações diferentes entre os indivíduos. Por conta disso, é fundamental contar com a participação de colaboradores multidisciplinares na aplicação do Design Thinking, pois a diversidade de ideias e perspectivas contribui para gerar mais conteúdo e soluções para uma determinada questão. Nessa discussão equilibra-se as opiniões e é construída uma ideia síntese dos assuntos que foram debatidos.

Experimentação

Por fim, temos um grande pilar do Design Thinking: a experimentação. Depois de reunir o máximo de ideias e opiniões e chegar a uma conclusão válida, é de grande importância realizar a experimentação prática. Isso porque mesmo tendo feito uma análise e um estudo minucioso sobre um assunto, não é possível garantir certezas e afirmações de sucesso sem testá-las.

Pode haver casos que ao colocar em prática a solução criada, não haja uma boa resposta ao público consumidor. Por isso, o teste é a melhor forma de garantir que o que foi decidido realmente correspondeu ao esperado.

Quais são as vantagens desse modelo para times das concessionárias automotivas?

A essa altura você já deve ter percebido que o Design Thinking é essencial para você realizar a sua estratégia de negócio, certo? Quando nos referimos ao time de vendas de veículos em uma concessionária, um dos pontos importantes é que essa ferramenta ajuda na construção de uma comunicação mais empática. Além disso, ela também contribui para o cuidado com a fidelização de clientes, pois permite promover experiências positivas de compra.

Ao viabilizar uma cultura de inovação dos processos de venda e atendimento, consegue-se promover um ambiente organizacional mais confortável. Por isso, é possível afirmar que o Design Thinking é uma abordagem importante para contribuir para o sucesso do negócio no mercado.

Essas foram as principais informações a respeito da inovação nas concessionárias e como o Design Thinking pode ajudar a tornar os negócios melhores. Vale ressaltar que o gestor tem um papel essencial na transformação a partir da implementação de novas abordagens.

Gostou do artigo? Então compartilhe-o em suas redes sociais para que mais pessoas possam ficar por dentro da relevância desse tema!

POSTAGENS RECENTES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo
© 2021 DEALERNET. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Av. Santos Dumont, Nº 6061, Edf. André Guimarães Helitower, Salas 722 a 724 Portão, CEP: 42712-740 Estrada do Coco – Lauro de Freitas
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram